Jornalismo e literatura: escritor se destaca no cenário independente

Lucas Eliel, de 26 anos, divulga quatro livros no mercado independente

5 de julho de 2018

Aos 26 anos, o jornalista e escritor independente Lucas Eliel se destaca no mercado da literatura nacional. Ele apresenta quatro novas obras, que podem ser encontradas em formato digital

Segundo estudo feito pelo Google em parceria com a Forrester Research, atingindo um total de R$ 85 bilhões, as vendas online devem dobrar até 2021. A perspectiva é favorável não só para jornalistas empreendedores, como também para autores independentes, que se lançam no universo literário sem o apoio de editoras tradicionais.

Ainda de acordo com pesquisas da Forrester Research, a estimativa é de que nos próximos 5 anos o Brasil terá 27 milhões de pessoas que irão fazer sua primeira compra online, e tablets e smartphones devem ser cada vez mais utilizados para comprar e-books e livros físicos.

Neste cenário, o jornalista e escritor independente Lucas Eliel, de 26 anos, surpreendeu o mercado editorial brasileiro com o lançamento, em junho, de dois romances, uma novela (gênero literário situado entre o conto e o romance) e um conto.

Segundo Lucas Eliel, os livros foram escritos em cerca de dois anos, e publicados todos em junho de forma independente, sem o suporte de uma editora tradicional.

Trabalho no mercado independente

Conforme explica o escritor, a publicação independente pode trazer liberdade editorial e autonomia aos escritores em relação aos seus livros, mas também traz uma série de responsabilidades.

“O autor independente não precisa fazer tudo sozinho, e a partir de um investimento pequeno já pode contar com a ajuda de profissionais especializados, mas no meu caso eu mesmo fiz a revisão, a diagramação, e a capa de cada um dos meus livros. Depois de publicados, os livros continuam ‘dando trabalho’, pois aí vem a parte da divulgação, do marketing, etc. É mais ou menos como ser uma editora de uma pessoa só”, afirma.

De acordo com o escritor, há diversos elementos do jornalismo em suas histórias. “Em O Misterioso Caso do Leprosário, há uma cobertura jornalística sensacionalista em andamento no meio da trama, e alguns veículos de comunicação transformam o caso do triplo assassinato no antigo Leprosário em um verdadeiro reality show”, explica.

“Em O Mistério da Quarta-feira de Cinzas”, o autor continua, “o texto jornalístico também está presente em diversas situações, e é crucial para dar ritmo e objetividade à história. Na novela O Autista Milagreiro o modo como a mídia faz do menino um curandeiro, uma espécie de popstar, também encaminha a história para um final trágico, com uma romaria perigosa que se forma em volta do menino, e levanta o debate sobre o poder e a influência da mídia”, declara.

“Em O Homem que Via Chifres, primeiro conto da série “Contos Incríveis”, a popularidade de Jeff, personagem principal que trai a esposa e passa a ver chifres nas cabeças das pessoas, também se dá por meio de uma entrevista para um programa de TV, em pleno manicômio, e tem consequências surpreendentes”, finaliza o escritor.

O jornalista e escritor

Influenciado por autores como Graciliano Ramos, Agatha Christie e Stephen King, Lucas Eliel surpreende os leitores com histórias inusitadas. Personagens profundas, críticas sociais, reviravoltas, descrições arrepiantes e cenários cinematográficos também são elementos presentes na escrita do autor independente. Ele pode ser encontrado nas redes sociais e em seu site oficial.

(Fonte: https://portal.comunique-se.com.br/jornalismo-e-literatura-escritor-paulista-se-destaca-no-cenario-independente/, data de acesso: 10/05/2019)

Link permanente para este artigo: http://espacohomem.inf.br/2019/05/jornalismo-e-literatura-escritor-se-destaca-no-cenario-independente/

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.