Entrevista com o advogado Luiz Antonio Santos

Luiz Antonio Santos

Perfil do advogado Luiz Antonio Santos

OAB/SP: 346.533

Luiz Antonio é advogado criminalista atuante na área do Direito Penal e Direito Processual Penal: experiencia nos crimes contra o sistema financeiro, contra a ordem tributária e econômica, crimes contra a vida, contra o patrimônio, contra a honra, propriedade intelectual, crimes contra a vida e de internet. Atua em processos conjuntamente com um dos maiores criminalistas do Brasil, O doutrinador e Professor: Cezar Roberto Bitencourt. Trabalhou como defensor dativo na área criminal pela Defensoria Pública do Estado de São Paulo.

Atua também junto a Vara das Execuções Penais: fazendo-se observar os Direitos e Garantias Constitucionais e os Direitos Humanos.

É congressista e palestrante na área do Direito Criminal, participante de diversos congressos. Tema

Associação criminosa e organização criminosa, Crimes do sistema financeiro, crimes tributários, e da economia popular.

É membro do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais – IBCCRIM

É membro do Instituto de Ciencias Penais- ICP

É membro da Associação dos Advogados Criminalistas de São Paulo – ACRIMESP.

Formação Acadêmica: Bacharel em Direito, Filosofia e Teologia, e pós graduado em Direito Médico, Direito

Penal e Processo Pena, Medicina Legal e Ciências Forenses, em Ciências Criminais, e Tribunal do Júri.

Para mais detalhes:

Curriculum Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K8756254P2

Contatos:

Tel.: + 55 (11) 4612-0367

Cel.: + 55 (11) 9 4823-2575 (24h)

Site profissional: http://www.luizantonio.adv.br

E-mail: contato@luizantonio.adv.br

Endereço 1:

Avenida João Paulo Ablas 377 – Sala 03

Jd Gloria (Cotia/SP)

Cep: 06711-250

Endereço 2:

Avenida Doutor Abraão Ribeiro, 313 – No Forúm Criminal Barra Funda, São Paulo – SP, 01133-020. Sala Acrimesp 1º andar. Atendimento com hora marcada.



OBS.: Respeitamos a Liberdade de Expressão de todas as pessoas. As opiniões aqui expressas NÃO refletem as da TV ESPAÇO HOMEM, sendo estas de total responsabilidade das pessoas aqui entrevistadas.

Link permanente para este artigo: http://espacohomem.inf.br/2018/10/entrevista-com-o-advogado-luiz-antonio-santos/

Entrevista com o advogado mestre professor Milton da Silva Ângelo

Milton da Silva Ângelo

Perfil do advogado mestre professor Milton da Silva Ângelo

  • Curso Superior: USP – Largo São Francisco;
  • Atividades Profissionais: Prof. De Inquérito Policial na Academia de Polícia de São Paulo;
  • Prof. de Direito Administrativo em diversas faculdades;
  • Prof. de Estudos de Problemas Brasileiros – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas de Registro/SP;
  • Prof. de Direito Penal e Processo Penal: FMU, UNICID, UNG, FIG entre outras;
  • Mestre em Direito Penal pela São Francisco;
  • Vários cursos de aperfeiçoamento na área educacional e jurídica no Brasil e Europa;
  • Delegado de Polícia aposentado – Exerceu suas atividades em: Estrela D’Oeste, São João das Duas Pontes, Populina, Registro, Juquiá, Sete Barras, Miracatu, Jacupiranga, São Vicente, Santos, Guarujá e Iguape;
  • Advogado Cível, Criminal e Administrativo (CORREGEPOL);
  • Membro do Instituto Manoel Pedro Pimentel – Centro de Estudos Penais e Criminológicos da Faculdade de Direito da USP;
  • Membro da Associação de Direito e Economia Europeia (Coimbra);
  • Palestrante e Escritor.

Contato:

E-mail: angeloms@uol.com.br


Livro:


Ouça a entrevista: Rádio Espaço Homem – 2018-10-15 – Prof. Mestre Milton da Silva Ângelo

https://drive.google.com/file/d/1JDFtx0MgSVPJzaNYpPNemyj5N7m1FFgS/view?usp=sharing

OBS.: Respeitamos a Liberdade de Expressão de todas as pessoas. As opiniões aqui expressas NÃO refletem as da RÁDIO ESPAÇO HOMEM, sendo estas de total responsabilidade das pessoas aqui entrevistadas.

Link permanente para este artigo: http://espacohomem.inf.br/2018/10/entrevista-com-o-advogado-mestre-professor-milton-da-silva-angelo/

Desinformação impede que homens solteiros adotem crianças, dizem juízes

12/08/2016 – 09h12

Célio Wanderson de Araújo, pai adotivo solteiro dos irmãos Carlos e Anderson

Célio Wanderson de Araújo é assistente social no Distrito Federal (DF), solteiro, e desde 2013 é pai de dois irmãos: um menino de 9 e outro de 11 anos. Peterson Rodrigues dos Santos, vendedor em Porto Alegre/RS, solteiro, se tornou pai de um menino de 9 anos em 2015. José Ubiratan Vieira Cavalcanti, técnico em enfermagem em Recife/PE, se tornou pai de um menino de sete anos com paralisia cerebral em 2009. Esses são apenas alguns dos casos de adoção bem-sucedida feita por “pais solteiros” em todo o país. Todos foram unânimes em afirmar que o amor incondicional foi o que os motivou a encarar o desafio de criar uma criança adotiva sozinhos.

Atualmente, dos mais de 37 mil pretendentes inscritos no Cadastro Nacional de Adoção, gerido pela Corregedoria Nacional de Justiça, órgão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), 5.019 são pessoas solteiras.

Em média, elas representam cerca de 15% do total de crianças adotadas em todo o país. Não existem dados específicos sobre adoção de crianças por homens solteiros. No entanto, magistrados da Vara da Infância consultados pelo CNJ confirmam que o número ainda é muito pequeno e aquém do que poderia ser.

“Culturalmente o homem ainda não se descobriu como capaz de formar uma família sem a necessidade de uma mulher”, afirmou o juiz Élio Braz, titular da 2ª Vara da Infância e Juventude de Recife. “Eles tendem a achar que não ‘levam jeito’. Só que para adotar uma criança não precisa ter ‘jeito’, mas ter amor”, completou.

Campanha – Em setembro do ano passado, a Vara da Infância da Juventude fechou uma parceria com o Sport Clube do Recife. Os jogadores do time de futebol da capital pernambucana entraram em campo para uma partida contra o Flamengo de mãos dadas com crianças que vivem em abrigos em Recife à espera de adoção.

A ação chamada “Adote um pequeno torcedor” mobilizou a cidade e 19 crianças foram adotadas. Entre elas, três por pais solteiros. “Foi uma surpresa muito positiva. Tivemos homens solteiros do Rio de Janeiro vindo adotar crianças em Recife”, contou o magistrado.

De acordo com o juiz, homens solteiros adotam crianças maiores e a adaptação é mais rápida, pois a criança escolhe o pai. Eles são mais abertos e se entregam emocionalmente mais à criança. “A criação do vínculo é muito mais rápida e mais forte do que vemos em adoção por casais”, contou.

Cuidador de um abrigo em Brasília, Célio Wanderson sempre quis ser pai, mas nunca se casou. Um dia, quando chegava em casa de um plantão, viu dois meninos de rua. Passou a mapear os locais por onde eles passavam e se aproximou. “Eram crianças muito difíceis, tinham sofrido agressão do padrasto e passado por muitos momentos complicados. Mas criamos um vínculo e não me vi mais sem eles. Eram os meus filhos.

Percebi que o problema deles era a falta de presença de um adulto”, contou o assistente social. ´”É um desafio ser ‘pãe’. Tenho que ter um lado mais acolhedor e um lado mais limitador. Mas não é nenhum bicho de sete cabeças. No meu caso, são apenas duas cabeças: dos meus dois filhos”, brinca Célio Wanderson. A guarda definitiva ainda está para sair e o assistente social luta agora para ter direito a mais do que os sete dias de licença paternidade que lhe foi consignado no local de trabalho.

O vendedor porto-alegrense Peterson Rodrigues dos Santos se tornou conhecido em todo o país exatamente por ter conseguido o reconhecimento do direito a quatro meses de licença após ter adotado sozinho um menino de nove anos chamada Lucas. A história dos dois começou em 2013, quando Peterson passou a frequentar uma ONG que promove o apadrinhamento de crianças que vivem em abrigos. Apesar de as crianças que participam do programa não poderem ser adotadas por ainda manterem vínculo com suas famílias de origem, um ano depois do primeiro encontro, o menino foi destituído da família e se tornou apto para adoção. “Inicialmente, as visitas eram a cada 15 dias, mas logo passei a vê-lo toda semana, e o amor foi crescendo”, contou. “Contratei um advogado e entrei com um pedido de guarda em outubro de 2014. Levou um ano para a decisão sair e Lucas ser oficialmente meu filho”, lembrou.

Desafio – Se adotar uma criança sozinho já é um desafio para qualquer pessoa, seja homem ou mulher, adotar uma criança com deficiência é ainda mais complexo. Mas nada fez o técnico em enfermagem José Ubiratan Vieira Cavalcanti mudar de ideia. “Foi amor à primeira vista”, disse. Ele conheceu Victor Emanuel enquanto fazia trabalho voluntário em um orfanato e desde o primeiro encontro não conseguiu mais se ver longe do menino, que então tinha sete anos. Victor tem paralisia cerebral, não enxerga e há algum tempo se alimenta apenas por meio de sonda abdominal. “O amor não encontra razões quando quer realizar algo. Eu não vejo defeitos no meu filhinho. Ele brinca, expressa emoções, sorri e me chama de ‘Bibi’”, contou emocionado.

“Todas as crianças que ficavam com ele na enfermaria do abrigo já faleceram. Tenho certeza que é o amor e o carinho que o mantém vivo”, completou.

Ubiratan conta que pensou que, por ser homem e solteiro, teria dificuldades para adotar Victor. “Na Justiça foi rápido. Pensei que ia sofrer preconceito, mas nada disso aconteceu. Logo ganhei a guarda de Victor e dei para ele o meu sobrenome. Se eu tivesse mais condições financeiras, adotaria mais crianças. Crianças que ninguém quer, como as com deficiências, as difíceis e as mais velhas”, afirmou.

Regras – Com a alteração do Código Civil, todas as pessoas com mais de 18 anos podem adotar uma criança ou adolescente. A restrição é que o adotado deve ser 16 anos mais novo que o adotante. O processo de adoção para os solteiros demora o mesmo tempo que para os casais. Para se candidatar, basta ir a um Fórum de sua cidade, com a identidade e um comprovante de residência, e abrir um processo de habilitação para adoção. Os documentos exigidos variam de Vara para Vara.

Além de preencher alguns formulários, estão previstas entrevistas para avaliação psicossocial do adotante.

Na entrevista, o pretendente a pai preencherá a ficha de triagem onde poderá solicitar o tipo físico, idade e sexo da criança. Com o processo sendo aprovado, o interessado estará habilitado para adoção e fará parte de uma lista, junto ao Cadastro Nacional de Adoção. Quanto menor o número de restrições nas características da criança desejada, menor o tempo de espera. Escolhida a criança, dá-se início a um processo de adoção propriamente dito.

No Distrito Federal, em 2014, mais de 20 crianças foram adotadas por homens solteiros. Em 2015 aconteceu apenas uma adoção. Em 2016 ainda nenhuma. “Os homens solteiros não acreditam que um juiz irá deferir a guarda de uma criança para ele. Eles não conhecem as regras. Há muita desinformação. Por isso os números são baixos”, destacou Walter Gomes de Souza, supervisor da área de adoção da Vara de Infância e Juventude do Distrito Federal. “Ser homem ou mulher não faz diferença. O que importa é o bem-estar da criança e o vínculo criado com o adotante”, completou.

Paula Andrade – Agência CNJ de Notícias

(Fonte: http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/83065-desinformacao-impede-que-homens-solteiros-adotem-criancas-dizem-juizes, data de acesso 10/10/2018)

Link permanente para este artigo: http://espacohomem.inf.br/2018/10/desinformacao-impede-que-homens-solteiros-adotem-criancas-dizem-juizes/

Primeiro aniversário da lei que exige fraldários em banheiros masculinos de shoppings de São Paulo

Se os estabelecimentos descumprirem a regra, poderão ser penalizados com uma multa de 10 mil reais.

Por Luísa Massa – Publicado em 3 ago 2018, 13h21

Com certeza, você já vivenciou ou ficou sabendo de alguma história de um pai que não conseguiu trocar a fralda do filho em um ambiente público. Infelizmente, nem sempre os lugares oferecem espaços próprios para os homens realizarem essa tarefa, presumindo que a mãe é a responsável por isso. Embora a passos lentos, essa realidade está mudando – pelo menos para os moradores da cidade de São Paulo.

Agora é sério: se os shoppings ou estabelecimentos similares da capital não tiverem uma área dedicada aos cuidados da família, os banheiros masculinos deverão contar com fraldários. A medida foi anunciada no Diário Oficial da Cidade de São Paulo no último sábado, 28, constituindo a Lei nº 16.736, de 1 de novembro de 2017.

(Fonte: https://bebe.abril.com.br/familia/lei-fraldarios-banheiros-masculinos-shoppings-sao-paulo/, data de acesso 10/10/2018)

Link permanente para este artigo: http://espacohomem.inf.br/2018/10/primeiro-aniversario-da-lei-que-exige-fraldarios-em-banheiros-masculinos-de-shoppings-de-sao-paulo/

É errado chamar médico e advogado de “doutor”?

Tudo começou com uma tradição do século 19

Por Rafael Costa – Publicado em 14 fev 2017, 17h01

Não. Mas também não é correto. Segundo os dicionários modernos, você pode chamar de “doutor” qualquer um que tenha concluído um doutorado, seja a pessoa formada em agronomia, seja em zootecnia. O costume de chamar advogado e médico de “doutor”, mesmo aqueles sem doutorado, vem do Brasil colônia, pois na época a maioria dos jovens ricos que estudavam fora cursava medicina ou direito. Além disso, em 1827, dom Pedro 1º decretou que aquele que concluísse os cursos de ciências jurídicas e sociais no Brasil deveria ser tratado como “doutor”. O decreto caiu em desuso com o tempo, e hoje vale a regra do dicionário. Já os médicos continuam sendo chamados assim por tradição – reforçada por boa parte da própria classe médica, que usa o termo em cartões de visita, placas de identificação e perfis nas redes sociais, por exemplo.

(Fonte: https://super.abril.com.br/mundo-estranho/e-errado-chamar-medico-e-advogado-de-doutor/, data de acesso 10/10/2018)

Link permanente para este artigo: http://espacohomem.inf.br/2018/10/e-errado-chamar-medico-e-advogado-de-doutor/

Patentes acadêmicas – entenda o significado de alguns títulos

Bacharel

No Brasil, o bacharelado é concedido a quem concluiu o ensino superior e é válido na maior parte dos cursos de graduação, como engenharia, letras, direito, economia, medicina e comunicação, entre outros. Bacharéis podem praticar a profissão, mas não lecionar sua disciplina na academia

Licenciatura

É outra forma de concluir a graduação, mas essa capacita o estudante a trabalhar como professor na academia. Embora um licenciado já possa dar aulas em curso superior, é improvável que ele seja contratado por uma universidade sem dar sequência à carreira acadêmica, com cursos de mestrado, doutorado e pós-doutorado

Mestrado

No Brasil, é um curso de pós-graduação que possui entre dois e cinco anos de duração e que concede o título de mestre. No final do curso, o mestrando deve apresentar uma tese de dissertação a respeito de um tema de sua escolha e defendê-la diante de uma banca composta de professores doutores da universidade

Doutorado

Assim como o mestrado, capacita o acadêmico a desenvolver estudos e pesquisas mais abrangentes sobre o campo científico que escolheu em sua graduação. Os critérios para entrar e concluir o doutorado costumam ser mais exigentes do que os do mestrado

Ph.D.

O termo tem origem do latim Philosophiae Doctor, ou “doutor em filosofia”. Mas essa nomenclatura é mais comum nas universidades anglossaxônicas, já que no Brasil o título é equivalente ao de doutor. Os requisitos variam em cada país, mas, de qualquer jeito, é necessário ter um excelente currículo acadêmico e um histórico de publicações em revistas científicas

MBA

“Master in Business Administration”, ou “mestre em administração de negócios”, é um curso de especialização em administração de empresas. Diferentemente das outras pós-graduações, o MBA pode ser feito por estudantes graduados em qualquer área
Fonte Ordem dos Advogados do Brasil

(Fonte: https://super.abril.com.br/mundo-estranho/e-errado-chamar-medico-e-advogado-de-doutor/, data de acesso 10/10/2018)

Link permanente para este artigo: http://espacohomem.inf.br/2018/10/patentes-academicas-entenda-o-significado-de-alguns-titulos/

Falta de higiene íntima masculina pode causar até perda do pênis

Hábitos saudáveis de limpeza íntima são fundamentais para prevenir enfermidades, inclusive o câncer

09/03/2018 – 14h37min Atualizada em 09/03/2018 – 14h39min

Bruna Porciúncula

O assunto faz parte da intimidade de cada um – e de todo mundo –, mas, acredite, ainda é tabu inclusive nas consultas médicas, que poderiam ser melhor aproveitadas. Estamos falando de higiene íntima, tanto de homens quanto de mulheres, uma série de cuidados pessoais que podem prevenir doenças infecciosas, algumas delas graves.

– As pessoas acham que se trata de um conhecimento automático e instintivo, e não é. Muitas vezes, também associam higiene íntima a sexualidade, o que também está errado – diz o professor titular de Ginecologia da Unicamp Paulo César Giraldo.

O assunto não é restrito às mulheres, cuja genitália é menos aparente. Os homens também precisam cultivar hábitos saudáveis em relação à limpeza íntima para prevenir enfermidades. Uma delas, muito relacionada à higiene, é o câncer de pênis, que tem entre seus fatores de risco a precariedade na limpeza do órgão, além de fimose e infecção pelo HPV, o mesmo vírus que causa câncer de colo de útero nas mulheres. O tumor é raro em países desenvolvidos, mas em regiões mais pobres, como alguns países da África e da Ásia e áreas mais vulneráveis do território brasileiro, aparece com mais frequência.

O Brasil, inclusive, amargou na última década a terceira colocação no ranking mundial de ocorrência da doença, atrás apenas de Índia e Uganda. Em casos mais avançados, o câncer de pênis pode levar à amputação do membro. De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), cerca de mil amputações são feitas no país a cada ano em decorrência do câncer. Esse cenário fez com que a SBU apertasse o cerco contra a falta de cuidados.

O urologista Carlos da Ros, chefe do Departamento de Urologia da SBU, observa que os homens tendem a relegar o assunto, muito por conta de aspectos culturais que ainda não permitiram que o sexo masculino assuma uma rotina de visitas ao médico logo depois que entra na fase adulta.

– As mulheres deixam de ser atendidas pelo pediatra e, logo depois ou mesmo antes da primeira menstruação, passam a consultar o ginecologista. Os homens não. Eles deixam o pediatra e voltam aos consultórios médicos anos depois e geralmente porque têm alguma necessidade, lá com 40 ou 50 anos – diz.

As dicas que os especialistas dão, independentemente do gênero, não inspiram uma rotina neurótica de cuidados ou a utilização de produtos especiais. Água e sabonete neutro são os aliados básicos, mas é importante observar as peculiaridades de cada pessoa e também a enxurrada de produtos que prometem resultados nem sempre tão saudáveis, como perfumes íntimos.

– Nada que tem perfume é adequado para a limpeza íntima – sentencia Ros.

Dicas para cuidar da higiene íntima masculina

  • Sabe aquela piadinha que a última gotinha do xixi é da cueca? Não é nada engraçada quando se fala de saúde. Depois de urinar, o ideal seria lavar o pênis, mas, como nem sempre isso é possível, deve-se secá-lo. A umidade do restinho da urina e o calor da região são ótimos para a proliferação de fungos.
  • Lavar as mãos depois de ir ao banheiro é regra, mas para os homens também aconselha-se a tomar essa medida antes de fazer xixi. O manuseio do pênis com mãos sujas o expõe a todas as bactérias das mãos.
  • No banho, não basta somente deixar a água escorrer pela região genital. Passe sabonete no pênis, lavando-o com movimentos cuidadosos.
  • Prefira cuecas samba-canção, que são largas e mantêm a região arejada. Assim como para as mulheres, não se recomendam roupas apertadas. Esse hábito pode prejudicar os testículos.
  • A falta de higiene pode aumentar os riscos de balanopostites, inflamações no pênis e na glande, ampliando a probabilidade de doenças sexualmente transmissíveis (DST).
  • Quem tem o prepúcio (pele que reveste a glande) deve redobrar os cuidados com higiene, porque ele traz a desvantagem de aumentar as secreções de gordura e ampliar inflamações locais. No banho, lave com água e sabonete toda a área, puxando o prepúcio até que se visualize toda a glande.
  • Qualquer lesão na região peniana deve ser motivo para buscar a orientação de um urologista. O ideal é incorporar uma visita ao menos anual a esse médico.
  • Depois das relações sexuais, lave o pênis com água e sabonete neutro. Nada de dormir e deixar a higienização para o outro dia.
  • A falta de asseio adequado é um dos fatores de risco para a ocorrência de câncer de pênis. Fique atento a feridas persistentes, nódulos e edemas sólidos. Essa enfermidade causa secreções persistentes, acompanhadas de mau cheiro.
(Fonte: https://gauchazh.clicrbs.com.br/saude/vida/noticia/2018/03/falta-de-higiene-intima-entre-os-homens-pode-causar-ate-perda-do-penis-cjek2jnaq01m601p4oz2vm7nl.html, data de acesso 10/10/2018)

Link permanente para este artigo: http://espacohomem.inf.br/2018/10/falta-de-higiene-intima-masculina-pode-causar-ate-perda-do-penis/

Cuidados com a saúde do homem

Cuidar da saúde deve ser um hábito adotado por todos, sejam homens ou mulheres. Porém, apesar dessa percepção ser comum a muitas pessoas, os homens não têm o hábito de ir frequentemente ao médico. Assim, devido à importância de uma atitude mais ativa com os cuidados para si, apresentaremos neste texto informações sobre a saúde do homem.

Os hábitos adotados durante a vida

Segundo dados do Ministério da Saúde, 31% dos homens não têm o hábito de ir ao médico, e entre os homens que não vão, 55% deles relatam que não precisam. Dados do Vigitel (2015) apontaram que entre os problemas que mais afetam o homem estão: obesidade (57%), alcoolismo (25%) e tabagismo (13%).

Hábitos adotados ao longo da vida influenciam no desgaste da saúde e no surgimento de doenças. Algumas doenças, quando detectadas no início, têm grandes chances de cura, por isso é importante ir ao médico com regularidade. Portanto, para envelhecer com saúde é necessário a realização periódica de consultas e exames.

A ocorrência de posturas negativas como fumar, consumir bebidas alcoólicas em excesso, não praticar atividades físicas, não se prevenir nas relações sexuais, manter uma rotina estressante com uma alimentação sem horário e sem orientação nutricional é fator de risco para o surgimento de doenças como infecções, cirrose hepática, hepatite, colesterol alto, obesidade, aids, sífilis, acidente vascular cerebral, gastrite, diabetes, hipertensão e outras.

DOENÇAS QUE MAIS AFETAM OS HOMENS

Segundo informações do Instituto Lado a Lado pela Vida, as doenças que mais afetam os homens em cada fase da vida são:

Infância: Criptorquidia, Enorese Noturna, Fimose, Hipercolesterolemia Familiar, Infecção Urinária, Prostatite e Refluxo Vesicoureteral.

Adolescência: Arritmia Cardíaca, Câncer de Cabeça e Pescoço, Diabetes, Disfunção Erétil, DST, Ejaculação Precoce, Hipercolesterolemia Familiar, Hipertensão Arterial, Infecção Urinária, Melanoma e Prostatite.

Vida adulta: Arritmia Cardíaca, AVC, Cálculo Urinário, Câncer de Bexiga, Câncer de Cabeça e Pescoço, Câncer de Estômago, Câncer de Pênis, Câncer de Próstata, Câncer de Pulmão, Câncer de Testículo, DAEM, Diabetes, Disfunção Erétil, DST, Ejaculação Precoce, Hipercolesterolemia Familiar, HPB, Hipertensão Arterial, Incontinência Urinária, Infarto, Infecção Urinária, Melanoma e Prostatite.

Terceira idade: Arritmia Cardíaca, AVC, Cálculo Urinário, Câncer de Bexiga, Câncer de Cabeça e Pescoço, Câncer de Estômago, Câncer de Pênis, Câncer de Próstata, Câncer de Pulmão, Câncer de Rim, Câncer de Testículo, DAEM, Diabetes, Disfunção Erétil, DST, Ejaculação Precoce, Hipercolesterolemia Familiar, HPB, Hipertensão Arterial, Incontinência Urinária, Infarto, Infecção Urinária, Insuficiência Cardíaca e Melanoma.

Algumas medidas tornam-se necessárias para evitar o aparecimento dessas complicações, preservando e mantendo a saúde do homem, são elas:

  • Praticar atividades físicas;
  • Não fumar;
  • Diminuir o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Manter um estilo de vida mais otimista;
  • Manter uma alimentação balanceada, livre do excesso de sal, gordura e açúcar.

Observação: a ida frequente ao pediatra é a recomendação para a detecção de doenças na fase infantil.
CHECK-UP DO HOMEM

Confira alguns exames* importantes de serem realizados, conforme informações do Ministério da Saúde:

  • Aferição da pressão arterial;
  • Exame de sangue;
  • Exame de urina;
  • Teste de glicemia;
  • Teste de PSA;
  • Teste de tireoide;
  • Testes de doenças sexualmente transmissíveis;
  • Ultrassom de abdômen;
  • Verificação de peso.

* Torna-se necessário uma consulta ao médico para a verificação dos exames necessários para o seu check-up.

Os cuidados com a sua saúde importam e são necessários para garantir uma vida longa e saudável, sempre ao lado de pessoas especiais. Ter dedicação pela saúde é um ato de amor para si e para as pessoas que querem ver você bem.

(Fonte: http://www.bioanalise.com.br/blog/cuidados-com-a-saude-do-homem/, data de acesso 10/10/2018)

Link permanente para este artigo: http://espacohomem.inf.br/2018/10/cuidados-com-a-saude-do-homem/

Dia das crianças: é também um alerta aos pais, e, aos homens educadores…


DIA NACIONAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA – 5 de outubro

DIA DAS CRIANÇAS – 12 de outubro


Dia 12 de outubro, famílias inteiras, ou os pais que visitam os seus filhos aos domingos, ali junto com um ou dois de seus meninos, tudo é motivo para o passeio ser ótimo, diversão e presentes maravilhosos. Mas, será que o homem pai tão companheiro na diversão comemorativa, está se dando conta de daqui há poucos anos, seus lindos e robustos filhos e suas lindas e sorridentes filhas já estarão adolescentes? Já dialogou com a sua esposa, ou ex-esposa, de qualquer modo é a mãe deles e delas, sobre a fase educacional para a qual terão que se preparar… os apelos para os adolescentes diante de acesso a visualizarem e trocarem rápidas informações com seus/suas coleguinhas, os expões a informações sobre sexualidade precoce, apelos de prazer e a exposição deles e delas, que de alguma forma, se não forem bem orientados poderá haver riscos, alguns sem solução ou sem retorno.

As manchetes até mesmo em noticiários de fácil acesso à Internet, quer até mesmo por um celular, há informações preocupantes… pois de 10 a 19 anos já estão os seus amados filhos e filhas, na adolescência. São meninos de 13 até 18 anos de idade, que estão começando a sua vida sexual…. São uma em cada 5 crianças nascidas no Brasil, filha de meninas entre 10 e 19 anos.

Segundo informações da UNICEF: a cada três minutos, uma adolescente é infectada pelo HIV.

O número de novos casos de aids na faixa etária entre 15 e 24 anos… anos, em particular entre meninos jovens que fazem sexo com outros meninos… Para cada cinco meninos que convivem com a doença, são sete meninas da mesma idade que contraem o vírus.

Alerta a Unicef que HIV infecta 18 crianças por hora no mundo. Só em 2016, em torno de 55 mil adolescentes morreram de causas ligadas ao HIV. São 18 crianças que contraem o vírus a cada hora no mundo. Se a tendência persistir, em 2030, existirão 3,5 milhões de casos novos.

Precisamos pais e educadores, incluindo médicos e psicólogos, dialogar mais sobre esta situação atual, encontrar meios de orientar para a prevenção, trazer mais para o diálogo, e debates… Mostrar para elas a tristeza e sofrimento das pessoas que não se cuidam, e as consequências para toda a vida, ou por que não conseguirão doentes realizar seus sonhos de estudar no exterior, ou por que ficará com muita dor e doente, dependente de remédios…. enfim, é triste, termos que explicar o que é triste e difícil para a compreensão da idade deles e delas, mas será mais triste se nada tentarmos, e, se por infelicidade eles ficarem infectados ou gestarem um bebê já doente, que os traumatizará muito mais, e talvez sem soluções plausíveis a longo prazo… Pais e Educadores, outros/outras profissionais das áreas de saúde, vamos encontrar estratégias e soluções conjuntas e preventivas…

Nossa gratidão aos nossos voluntários homens, que tanto nos ajudaram em momentos complicados que atravessamos. A amizade e as parcerias nos renovam e nos encorajam.

Recebam esta edição do Blog ESPAÇO HOMEM Informa… que buscamos pesquisar alguns assuntos, para prováveis debates, pesquisas etc.

PARABÉNS POR SUA LIDERANÇA em sua empresa, trabalho, família, etc. O país precisa de “grandes homens com grandes almas” só estes podem liderar para o BEM COMUM. Fraternal abraço de Elisabeth Mariano e equipe.

Link permanente para este artigo: http://espacohomem.inf.br/2018/09/dia-das-criancas-e-tambem-um-alerta-aos-pais-e-aos-homens-educadores/

Entrevista com o perito contábil Prof. Eduardo Terovydes Júnior

Prof. Eduardo Terovydes Jr.

Prof. Eduardo Terovydes Jr.

Prof. Eduardo Terovydes Júnior

Perfil do perito contábil Prof. Eduardo Terovydes Júnior

Prof. Eduardo Terovydes Júnior

Contador e Administrador de Empresas formado pela Universidade São Judas em 1988; é Perito Judicial Contábil e Administrador Judicial e em Penhora de Faturamento no Tribunal de Justiça de SP há 27 anos.

Como profissional de confiança de dezenas de Juízes, atua em processos cível, empresarial, bancário, família e tributário, bem como presta serviços quando contratado por uma das partes como assistente técnico contábil, orientando o cliente e servindo de intercâmbio com o Perito nomeado.

É membro ativo da Associação dos Peritos Judiciais do Estado de São Paulo – APEJESP

Contatos:

Telefone: (11) 3567-2939

E-mail: contato@pericia-contabil.com

Site: http://pericia-contabil.com



OBS.: Respeitamos a Liberdade de Expressão de todas as pessoas. As opiniões aqui expressas NÃO refletem as da TV ESPAÇO HOMEM, sendo estas de total responsabilidade das pessoas aqui entrevistadas.

Link permanente para este artigo: http://espacohomem.inf.br/2018/09/entrevista-com-o-perito-contabil-prof-eduardo-terovydes-junior-2/